O que é ansiedade e como ela pode interferir na sua vida

0
104

É comum de todo ser humano se sentir ansioso diante de diversas situações diárias, como tomar decisões, enfrentar algum problema ou antes de eventos específicos como apresentar um trabalho. Neste caso, a ansiedade é considerada um sentimento normal do ser humano.

No entanto, há também a ansiedade patológica, que é desproporcional e até mesmo inadequada, podendo atrapalhar a vida de quem a sente. Neste caso, ela é considerada uma doença, causando distúrbios de ansiedades.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mais de 23% dos brasileiros sofre com algum transtorno de ansiedade. Pessoas que sofrem com isso tendem a desenvolver preocupações e medos intensos, além de sintomas físicos que podem acabar atrapalhando seu dia a dia.

No entanto, a ansiedade excessiva, se não tratada, pode acabar levando a uma série de outros problemas, como depressão, isolamento social, vícios, insônia e demais distúrbios do sono, entre outros. Se você quer saber o que é ansiedade e dicas de como controlá-la, continue a leitura.

O que é ansiedade

Como dito anteriormente, a ansiedade pode ser um sentimento normal diante de algumas situações da vida, principalmente algum desafio. No entanto, essa sensação pode começar a fazer parte da sua rotina, deixando de ser apenas uma emoção e se tornando uma doença, um transtorno.

Ao ter crises de ansiedade o corpo libera certas substâncias, como noradrenalina e adrenalina, como se estivéssemos passando por uma situação de perigo ou muito desesperadora.

Para que você consiga entender de forma simples, pense que a ansiedade funciona como uma preparação para situações de perigo, causada por alterações fisiológicas do cérebro, atuando como uma forma de proteção. E uma pessoa que passa a ter crises e transtornos de ansiedade sente essa sensação constantemente.

O que causa ansiedade

É difícil apontar a causa da ansiedade. De maneira geral não há algo que desencadeie diretamente este transtorno. No entanto, há alguns fatores que podem ter envolvimento:

  • Um dos fatores é a genética, no caso, quando alguém da sua família já possui transtorno de ansiedade;
  • Também pode ter relação com algum ambiente ou evento traumático, como perder alguém;
  • A forma como você encara as situações do seu dia a dia também pode interferir;
  • Problemas de infância;
  • Acúmulo de estresse ou presença frequente em ambientes estressantes;
  • Problemas de sono, como insônia e demais distúrbios do sono;
  • Preocupações excessivas;
  • Causas hormonais;
  • Abuso de drogas ou substâncias alcoólicas;
  • Doenças físicas como problemas respiratórios, problemas cardíaco, entre outros.

No entanto, como falamos, não há uma causa exata para que alguém tenha ansiedade, podendo ser proveniente de diferentes fatores.

O que sabemos é que a química cerebral está diretamente ligada a distúrbios como a ansiedade. Neste caso, há um desequilíbrio químico ocorrendo no cérebro, que acaba desencadeando a ansiedade. E as causas deste desequilíbrio podem estar relacionadas com qualquer um dos fatores citados acima, além de muitos outros.

Tipos de ansiedade

A ansiedade é um conjunto de problemas e pode se manifestar de várias formas, como ansiedade generalizada, fobias, pânico, distúrbio obsessivo-compulsivo, entre outros. Agora que você já sabe o que é ansiedade, confira quais os tipos existentes.

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

Considera-se TAG quando a ansiedade permanece durante um longo tempo (acima de 4 meses), interferindo nas atividades diárias e na vida de quem a sente. Preocupações excessivas com tudo, estresse e tensão acabam afetando a pessoa diariamente, causando um intenso desgaste. No entanto, é difícil saber ao certo o que desencadeia a TAG, é comum que nem a própria pessoa consiga identificar o que faz com que ela se sinta desta forma, nem o motivo para ter tantas preocupações.

Síndrome do Pânico

Síndrome do Pânico ou Transtorno do Pânico são imprevisíveis, fazendo com que o indivíduo possa ter crises de pânico a qualquer momento, inclusive por estarem sempre alertas e preocupados, não sabendo quando e onde pode ocorrer uma nova crise. É comum que pessoas com este transtorno sintam como se fossem morrer ou que algo muito ruim fosse acontecer, mesmo sem ter motivo para isso, sentindo angústia, desespero, medo, entre outros.

Ansiedade Social

Também conhecida como Fobia Social, este é um dos tipos mais comuns em que a ansiedade se manifesta. É comum que pessoas com ansiedade social não se sintam bem em público ou quando estão com outras pessoas, quer sejam estranhas ou familiares. Embora possa parecer estranho, é algo bem comum e afeta muitas pessoas.

Fobia

Além da Fobia Social que citamos acima, há outros tipos de fobias que são comuns, causadas pelo medo incontrolável de algum animal, objeto ou local. Por exemplo: a aracnofobia, que é o medo incontrolável de aranhas e a claustrofobia, que é o medo de espaços fechados.

Transtorno de Ansiedade

O Transtorno de Ansiedade tem relação direta com estresse, obsessões, fobias, síndromes e distúrbios, fazendo com que seja muito difícil para a pessoa viver em paz consigo mesmo e com outras. É comum que as pessoas tenham medo de perder o controle ou ser responsável por algo terrível, vindo a sentir culpa. Estas preocupações se manifestam por pensamento que invadem a mente e causam grande aflição e ansiedade, tornando a pessoa incapaz de controlá-los. Um exemplo comum é o TOC, doença mental grave, marcada pela presença de obsessões e compulsões.

Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT)

Este transtorno é causado em razão de algum trauma que tenha acontecido, comum em casos de acidentes graves, desastre natural, sequestro, perdas trágicas, entre outros.

Ataques de Ansiedade

Os ataques de ansiedade são comuns quando começamos a nos questionar o porquê de tudo, também conhecido como crise existencial.

Crise de Ansiedade

Durante as crises de ansiedade é comum que os sintomas sentidos sejam físicos, como boca seca, suor frio, palpitações, entre outros.

Sintomas da ansiedade

Agora que você já sabe o que é ansiedade e quais as formas que ela pode se manifestar, conheça alguns dos sintomas mais comuns de quem sofre com esta doença. Vale ressaltar que os sintomas podem ser tanto físicos quanto psicológicos.

Preocupação excessiva: é comum que pessoas ansiosas estejam sempre preocupadas com tudo: presente, futuro e coisas que podem nem sequer acontecer.

Alterações de sono: apresentar quadros de insônia, como dificuldade para dormir, não conseguindo ‘desligar’ e sendo invadido por um turbilhão de pensamentos.

Tensão muscular: por não conseguirem relaxar, é comum que sofram com dores nas costas, nuca e ombros, podendo também atingir a região cervical.

Roer unhas: este é um dos sintomas mais comum, evidenciado em mais de 63% da população, deixando nítido que a pessoa sofre de ansiedade.

Sensação de perigo: é comum que pessoas ansiosas enxerguem perigo em tudo, tornando o medo e a ansiedade excessivos, mesmo quando não há motivo aparente.

Lembranças ruins: recordação constante de algum trauma ou evento que tenha marcado a vida negativamente.

Medos irracionais: ter medo constante de tudo, como não ser bom o suficiente, fracassar, não ser aceito, fazer algo errado, se sentir insuficiente ou incapaz, entre outros. É comum que estes medos interfiram em relações pessoais e profissionais.

Descontar na comida: é comum que pessoas ansiosas descontem na comida, de forma a buscar alívio da tensão. No entanto, é preciso ficar alerta, pois esta atitude pode acabar gerando compulsão alimentar.

Inquietação, fadiga e dificuldade de concentração: é comum que a pessoa ansiosa fique andando de um lado a outro, tenha dificuldade de se concentrar e também sofra de fadiga.

Problemas digestivos: problemas gastrointestinais são comuns em pessoas ansiosas, como má digestão, azia, diarreia, entre outros. Se atacar o sistema nervoso podem ter outras consequências como úlcera, gastrite, síndrome do intestino irritável e outros.

Mudanças de humor: irritabilidade e demais mudanças de humor repentinas, fazendo com que a pessoa fique prestes a ter um ataque de nervos também são comuns, principalmente em momentos de estresse e pressão.

Dor de cabeça: é comum que pessoas ansiosas sofram com fortes dores de cabeça, como resultado de outros sintomas, como estresse e insônia.

Ataque de Pânico: é uma reação comum durante transtornos de ansiedade, causando pânico e nervosismo incontroláveis.

Pensamento obsessivo: a pessoa se torna incapaz de controlar pensamentos angustiantes. Pode estar associado a depressão, bipolaridade, TOC, distimia, entre outros.

Demais sintomas físicos da ansiedade: além dos sintomas citados acima, também é comum que a pessoa ansiosa sinta dores ou apertos fortes no peito, aceleração do batimento cardíaco, falta de ar, suores, tremores, náuseas, boca seca, entre outros.

Ansiedade na menopausa

A menopausa é uma fase muito delicada pela qual todas as mulheres irão passar. Ela é marcada por uma série de alterações hormonais e também simboliza o fim do ciclo reprodutivo da mulher.

No entanto, o que muita gente não sabe é que a ansiedade é um sintoma muito comum durante a menopausa, tendo como principal causa as alterações hormonais e o medo.

Durante a menopausa a diminuição de hormônios predominantemente femininos, como o estrogênio e o progesterona, pode acabar gerando sintomas físicos e também psíquicos, como é o caso da ansiedade.

Além disso, é comum que a mulher se sinta aflita e ansiosa com as mudanças que ocorrem no seu corpo durante este período, além do medo da idade chegando, do futuro, de ficar sozinhas e outros. E em razão do desconhecimento, muitas ficam ainda mais nervosas e propensas a desenvolver ansiedade.

Alguns sintomas da menopausa, como as fortes ondas de calor (fogachos), insônia, falta de desejo sexual, ganho de peso e outros, também podem aumentar a ansiedade. E o estresse de precisar lidar com a ansiedade neste período também pode contribuir para acabar agravando e prolongando casos de ansiedade.

Pensando nisso, separamos abaixo 18 dicas que podem te ajudar a lidar com a ansiedade na menopausa e em qualquer outra etapa da sua vida.

18 dicas para controlar a ansiedade

Pratique exercícios: praticar atividades físicas que proporcionem prazer, como uma caminhada tranquila, contribui para aumentar o bem-estar, ganhar disposição, se tornar mais produtiva, diminuir a insônia e prevenir uma série de doenças, como a ansiedade, já que estimula a produção da endorfina (proporcionando a sensação de bem-estar e relaxamento).

Pratique meditação: a meditação pode estimular a região responsável pelo sentimento de felicidade, além de fazer com que você consiga relaxar e se livrar do estresse causado pelo dia-a-dia.

Ouvir música: música é uma ótima forma de relaxar e descansar, sendo considerado um ótimo elemento terapêutico.

Ir para cama cedo: ter o sono adequado pode diminuir as chances de desenvolver ansiedade e demais distúrbios do sono.

Acorde mais cedo: se você tem algum compromisso busque acordar mais cedo e fazer tudo com calma, de forma a ter um dia relaxante. Acordar em cima da hora e fazer tudo correndo pode contribuir para que você fique ansiosa.

Reduza alguns alimentos: tente reduzir alimentos como a cafeína, o açúcar e demais alimentos processados, que podem causar palpitações cardíacas.

Lide com seus sentimentos: é importante lidar com seus sentimentos e entender que você não precisa sentir culpa ou vergonha de ser uma pessoa ansiosa. Busque também trabalhar sua autoestima.

Aprenda a lidar com seus pensamentos: pensamentos negativos tendem a gerar sentimentos negativos, mesmo que inconscientemente. Portanto, trabalhe seu pensamento e elimine pensamentos negativos.

Exercícios para controlar a ansiedade: natação, yoga, pilates e demais técnicas de relaxamento são exemplo de atividades que favorecem o aumento de endorfina, reduzindo a sensação de ansiedade.

Seja grato: busque pensar nas coisas boas da sua vida, lembre-se que tudo é passageiro, tanto as fases boas quanto as fases ruins e busque ser grato pela vida.

Psicoterapia: um tratamento com um psicológico, baseado em diálogo, onde você possa falar abertamente sem medo de julgamento ou vergonha, é importante. Assim será possível identificar a causa da ansiedade e formas para impedir que ela se manifeste.

Manter vínculos emocionais: a oxitocina é o hormônio dos vínculos afetivos. E manter vínculos emocionais é fundamental para o bom desenvolvimento de uma saúde mental. Abraçar, beijar e passar bons momentos com quem você gosta é fundamental.

Banho morno e massagem: quando estiver se sentindo ansiosa, busque tomar um banho morno ou fazer alguma massagem relaxante, isso também pode ajudar.

Interação social: não tente se isolar do contato com as pessoas. É muito importante ter o apoio de quem você ama.

Tome chá: chá de camomila e kava-kava ajudam a reduzir o sintoma da ansiedade.

Organize-se e pense no presente: tente se manter organizado e pensar sempre no presente, sem se preocupar com o futuro ou com coisas que podem não acontecer.

Dedique mais tempo para você: busque se cuidar, estar com quem ama, confiar mais em você e sorrir mais. Cuidar bem de você é fundamental.

Manter uma alimentação saudável: ter uma alimentação saudável também pode contribuir para aliviar sintomas da ansiedade. Confira abaixo alguns alimentos que você pode inserir na sua dieta, caso você não possua restrições.

Alimentos que ajudam a reduzir a ansiedade

Manter uma alimentação saudável é muito importante para que você consiga reduzir e controlar a ansiedade. Há uma série de alimentos que, se inseridos na sua dieta, podem fazer a diferença. Uma alimentação rica em vitaminas e aminoácidos, por exemplo, pode contribuir para a produção de serotonina, considerado o hormônio da felicidade, responsável por regular o humor.

Além disso, também é importante evitar alimentos que elevem o cortisol, conhecido como hormônio do estresse, como carboidratos refinados, alimentos industrializados e demais alimentos que contenham muito açúcar.

Entre os alimentos que contribuem para o aumento de serotonina estão: banana, abacate, nozes, queijo, beterraba, peixes, beterraba, chocolate meio amargo, entre outros.

Também busque ingerir frutas cítricas, pois a vitamina C ajuda a diminuir o cortisol.

Ovos, leites e derivados são ótimas fontes de triptofano e ajudam a aliviar sintomas da ansiedade.

Espinafre é uma ótima vitamina antidepressiva natural, que pode contribuir para aumentar os níveis de serotonina.

Suco de maracujá, alface e chá de camomila servem como remédios naturais para ansiedade.

Agora você já sabe o que é ansiedade, como ela se manifesta e o que você pode fazer para amenizar os sintomas, nos conte: Tem mais alguma estratégia natural que você conheça? Compartilhe com a gente!

- Adquira Já -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here