Depressão tem cura? Conheça os sintomas e saiba como prevenir

0
196

Muita gente pergunta se depressão tem cura, no entanto, muitas nem sequer sabem do que se trata, de fato, a depressão.

É comum que o termo seja utilizado de maneira errada para definir um momento de tristeza profunda pelo qual alguém está passando. No entanto, a depressão é algo muito mais sério do que a tristeza resultante de acontecimentos que ocorrem durante algum momento da vida, tendo implicações muito mais severas.

A depressão é uma doença que foge do controle de quem a sente, e, embora não se saiba sua real causa, é comum que o depressivo apresente mudanças químicas no cérebro, que causam sintomas psicológicos, emocionais e físicos.

O que muitos não sabem é que existe uma série de hábitos e alimentos diários que podem contribuir para prevenir a depressão e logo falaremos sobre eles.

O que é depressão

É realmente difícil caracterizar o que é de fato a depressão. Essa doença afeta a motivação, o sono, o apetite, a vontade de trabalhar e se relacionar com outras pessoas, a felicidade e prazer em realizar atividades, impedindo que a pessoa sinta-se bem com a vida que tem, entre outras coisas.

Segundo pesquisadores, a depressão pode ser causada por diversos fatores, sejam genéticos, biológicos ou sociais, que podem contribuir para que os sintomas de depressão se desenvolvam e intensifiquem.

Até 2030 é esperado que a depressão afete mais pessoas do que qualquer outra doença, inclusive o câncer. Por este motivo, é tão importante falar sobre isso e ficar atenta às pessoas ao seu redor. Ou procurar ajuda, caso esteja passando por este momento.

Principais causas da depressão

Como dito, ainda não se sabe qual a exata causa da depressão, no entanto, sabe-se que ela pode estar ligada a fatores genéticos, orgânicos, dependência química, traumas, entre outros.

Os fatores genéticos apontam que, se você possui alguém que já passou por quadros de depressão na sua família, maior a facilidade de você desenvolver a doença.

Os fatores orgânicos explicam que a depressão pode surgir de problemas emocionais ou psicológicos, como traumas vividos durante a vida.

A dependência química também facilita o aparecimento de sintomas da depressão, pois ao ingerir substâncias como álcool e drogas o organismo fica com uma sensação de bem-estar e euforia, se tornando viciado por estas substâncias, não conseguindo encontrar esta sensação de felicidade sem fazer uso delas.

Os neurotransmissores, quando desregulados, também podem dar início a uma série de distúrbios neurológicos e psiquiátricos, como a depressão.

Embora não se saiba a causa exata da depressão, sabe-se que há uma série de gatilhos que podem contribuir para esta doença e que ela é multifatorial, ou seja, são uma série de fatores que podem contribuir para que ela se manifeste, podendo ser diferente para cada tipo de pessoa.

Depressão tem cura?

Sim, a depressão tem cura. Na verdade, é mais um tratamento do que uma cura. Neste caso, é preciso levar em conta tanto os aspectos psicológicos quanto neurológicos e seguir a recomendação de um especialista.

A depressão atinge muito mais pessoas do que você pode imaginar e geralmente é muito pior do que parece, exigindo uma atenção muito maior, principalmente com a mulher durante períodos como gravidez e menopausa, onde há mais chances de desenvolvê-la.

Quando falamos que a depressão tem cura, queremos dizer que, além da psicologia, há uma série de mudança de hábitos de vida e práticas saudáveis que poderão te ajudar. Além de, claro, o acompanhamento de um profissional.

O tipo de tratamento irá variar de acordo com cada pessoa e tipo de depressão, já que as causas podem ser variadas e cada organismo possui sua especificidade. Mas com pequenas mudanças em suas atitudes, hábitos e qualidade de vida, você já poderá diminuir e, quem sabe, até mesmo eliminar os sintomas da depressão.

Também é importante sempre cuidar bem de você mesmo, para que não aconteça de ter recaídas durante e consiga viver uma vida mais saudável e despreocupada.

Sintomas mais comuns da depressão

Os sintomas da depressão podem ser sentidos de maneira diferente para cada pessoa, podendo variar também de acordo com a intensidade e quadro em que se encontra.

A anedonia (incapacidade de sentir prazer), a perda ou ganho de peso e de apetite, transtornos do sono, preguiça constante, abulia (notável falta de energia), dificuldades de focar, sentimento de culpa excessivo e pensamentos suicidas são sintomas comuns deste período.

Como há diferentes tipos de depressão, ou seja, diferentes formas e intensidades que ela se manifesta, os sintomas também podem variar.

Além dos citados acima, também há uma série de outros sintomas que são comuns durante este período e costumam ser divididos em 4 categorias: comportamental, sentimental, físicos e pensamentos.

Confira abaixo outros sintomas característicos deste momento:

  • Mal humor ou humor depressivo na maior parte do tempo;
  • Insônia ou Hipersônia (necessidade de dormir muito);
  • Agitação ou lentidão de movimentos;
  • Isolamento social;
  • Fadiga;
  • Sintomas de desvalorização, culpa e baixo autoestima;
  • Dificuldades no convívio social e também no ambiente de trabalho;
  • Perda de apetite sexual;
  • Irritabilidade constante;
  • Angústia;
  • Não querer sair da cama ou de casa;
  • Se afastar de amigos e até mesmo da família;
  • Crises de choro constantes;
  • Perda de interesse em atividades que costumam sentir prazer em realizar;
  • Crises de ansiedade;
  • Infelicidade;
  • Falta de confiança;
  • Dores de cabeça e até mesmo musculares;
  • Problemas de intestino e náuseas, entre outros.

Como prevenir a depressão?

Até hoje ainda não se encontrou uma cura para a depressão e o tratamento indicado varia de acordo com cada caso, levando em conta diversos fatores. Em geral, muitos profissionais indicam o uso de antidepressivos, porém eles podem ter efeitos colaterais.

Desta forma, buscamos estudar o assunto e encontramos pequenos hábitos que, se praticados no dia-a-dia, como manter a postura correta, podem ajudar a prevenir a depressão e contribuir para uma vida melhor.

Lembrando que não estamos indicando que você não faça ou interrompa o uso de antidepressivos, apenas estamos apresentando métodos naturais para te ajudar a lidar com este período.

Alimente-se bem: ter uma alimentação saudável é importante tanto para prevenir quanto para se recuperar da depressão, onde não comer ou comer demais são sintomas clássicos.

Fuja das drogas e álcool: embora ambos tragam uma sensação de euforia e calma, o seu corpo pode acabar se tornando dependente destes tipos de substâncias, o que poderá fazer muito mal para você. Por isso, evite-os.

Faça uma agenda: é comum que haja a falta de vontade de realizar algumas tarefas durante a depressão, como simplesmente levantar da cama e ir trabalhar. Uma boa dica é fazer uma agenda onde você terá seu dia programado, te ajudando e motivando a realizar suas tarefas.

Aproveite os pequenos momentos: observe as belezas das pequenas coisas, faça uma caminhada de 10 minutos durante o pôr do sol, leia um livro, faça um jantar, entre outras coisas. É comum que depressão acabe tirando a beleza e o prazer em diversas coisas durante a vida, então não contribua para que isso aconteça.

Faça atividades que te façam sentir bem: ocupe-se com atividades divertidas, procure nova diversões. Aprender coisas novas e prazerosas, conhecer novos lugares e estar perto de pessoas positivas é muito importante tanto para se recuperar quanto para evitar a depressão.

Tenha boas noites de sono: o sono é essencial para o cérebro e para amenizar sintomas da depressão. É comum que durante este período as pessoas durmam demais ou de menos. Se o seu problema for a falta de sono, faça exercícios de respiração, tome um banho quente, leia um bom livro e faça algo que te relaxe e facilite o adormecer. Se você dorme demais, peça para que alguém lhe acorde. O ideal é que estipular horários para dormir e levantar, criando uma rotina.

Faça Exercícios: pratique exercícios físicos diariamente, além de proporcionar distração e causar um bem-estar mental e psicológico, também estimulam o convívio social. Apostem em caminhadas ou outros exercícios que você goste de fazer e lhe dêem prazer.

Exercícios Aeróbicos: de acordo com estudos realizados pela Universidade do Texas, praticar exercícios aeróbicos regularmente pode reduzir em até 50% os sintomas da depressão, te proporcionando uma vida melhor.

Técnicas de relaxamento: busque técnicas de relaxamento, como acupuntura e massagem, que possam te ajudar a sentir bem consigo mesmo e ter mais prazer com a vida.

Religião: se você acredita em uma religião, não importa qual seja, busque se envolver mais e dedicar seu tempo com o que você realmente acredita.

ArteTerapia: as emoções têm importância fundamental nas experiências humanas e são muito trabalhadas na arteterapia, que ajuda a estabelecer o equilíbrio emocional e melhorar a qualidade de vida das relações, contribuindo para que mudanças de comportamento ocorram.

Não se isole: busque sempre estar perto de seus amigos, familiares e conhecidos, é importante não se sentir sozinha e saber que há pessoas que se preocupam com você.

Peça ajuda aos seus familiares: se você estiver enfrentando um momento difícil converse e peça ajuda para seus familiares e amigos.

Ajuda profissional: se estiver deprimido não sinta vergonha de procurar a ajuda de um profissional, busque ajuda sempre que necessário.

Alimentos para controlar a depressão: há uma série de alimentos que podem contribuir para que você se sinta melhor e mais animada, combatendo a depressão, como, por exemplo: banana, abacate, mel, laranja, maçã, ovos, carnes magras e peixes, soja, aveia e centeio, folhas verdes, leite e iogurte desnatado, entre outros.

Antidepressivos naturais: há alimentos que funcionam como antidepressivos naturais para o nosso corpo, como cacau, castanha do pará, semente de girassol, ômega-3, aveia, nozes, pêssego, linhaça e cúrcuma (que aumenta a serotonina do cérebro).

Apenas lembrando que, se você faz uso de algum medicamento, não estamos indicando que você interrompa, apenas estamos mostrando alguns alimentos que, se inseridos no seu cardápio, podem te ajudar nesse processo, garantindo que você viva uma vida melhor e mais alegre.

Conclusão

Para que você entenda se depressão tem cura ou não, é preciso entender que se trata de algo relativo. É importante procurar um profissional qualificado para ter um diagnóstico completo e as recomendações corretas.

No entanto, como você viu acima, há uma série de mudanças e hábitos que podem te ajudar a deixar estes sintomas para trás.

Mas preste atenção, pois depressão é coisa séria! E se você é mulher, precisa ter o cuidado redobrado, principalmente em períodos de mudanças hormonais, como gravidez e menopausa, onde há mais chances de sofrer com a depressão.

E saiba que não há vergonha alguma em estar em depressão. Portanto, ao notar os primeiros sinais, não hesite em procurar ajuda para que os sintomas não se agravem e tenham implicações mais severas em sua vida.

*Essa postagem tem apenas o objetivo de servir como uma orientação em relação aos sintomas da menopausa. Para ter um diagnóstico de depressão procure um profissional qualificado.

- Adquira Já -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here