Coceira vaginal na menopausa: entenda o que pode causar esse desconforto

0
1342

É muito comum que, ao longo da vida, a mulher acabe se queixando de coceira na vagina, não importando a idade. A coceira vaginal pode sim estar relacionada com a menopausa, mas as causas vão muito além disso. Sendo assim, é importante entender o que pode desencadear esse desconforto, assim como formas de tratá-lo.

Coceira vaginal na menopausa

Vamos começar pela menopausa, onde é muito comum que a mulher sofra com este desconforto, em razão das alterações hormonais que também causam o ressecamento vaginal e a perda de líbido.

A mulher entra na menopausa, geralmente, entre os 45 e 55 anos. E esse período é caracterizado por uma série de alterações hormonais e mudanças no corpo e também no emocional feminino. Mas porque exatamente ocorre a coceira vaginal na menopausa?

O motivo são sempre eles: os hormônios. A queda na produção hormonal, principalmente relacionada ao estrogênio, facilita o ressecamento vaginal e vulvar, aumentando as chances de que a mulher desenvolva infecções e coceiras no órgão sexual.

Para tratar a coceira vaginal na menopausa, você pode apostar em gel lubrificante e cremes hidratantes vaginais, além de cuidar da sua alimentação.

Outras causas comuns para coceira na vagina

Como já falamos, a coceira vaginal não ocorre apenas na menopausa e há inúmeras outras causas que podem causá-las e que também merecem atenção. Afinal, este desconforto pode realmente atrapalhar o bem-estar diário da mulher.

Irritação

A causa mais comum para que ocorra coceira vaginal são as irritações. Elas podem ocorrer por inúmeros fatores como: a calcinha utilizada, substâncias químicas, preservativos, sabonete, papel higiênico e outros.

Para tratar, é importante que você verifique o que está causando a irritação e suspenda o uso do produto ou troque por outra fórmula mais indicada.

Infecção

A infecção vaginal também tem como sintoma a coceira. Ela pode ocorrer em razão de uma bactéria ou fungo ou por doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Quando um fungo ou uma bactéria se instala na vagina, o que também é chamado de vaginose bacteriana, a região tende a ficar infeccionada, resultando em sintomas como irritação, vermelhidão, dor, desconforto e coceira vaginal.

Higiene íntima

Tanto a falta quanto o excesso de higiene íntima pode acabar resultando em coceiras e irritações, além de aumentar os riscos de inflamações e infecções.

No caso da má higiene, obviamente, facilita a proliferação de bactérias e fungos, assim como causa maior desconforto e irritação.

Já a higiene íntima em excesso pode acabar irritando a vulva, principalmente pela aplicação de produtos químicos, assim como afetar a proteção natural da vagina, que é a flora bacteriana.

Tricomoníase

Tricomoníase é uma DST que geralmente não causa sintomas no homem, mas que pode causar coceira no órgão sexual feminino. Outros sintomas que podem se manifestar são: dor ao urinar, corrimento com odor desagradável e dor durante a relação sexual.

Para saber se você possui estas ou outras doenças, é importante procurar um médico ginecologista que fará exames e poderá te oferecer um diagnóstico mais preciso.

Clamídia

Outra doença sexualmente transmissível (DST), a clamídia, tende a ser uma das mais comuns entre homens e mulheres. No entanto, poucas pessoas infectadas sentem os sintomas. Mas, quando eles se manifestam, tendem a ser semelhantes aos da gonorreia, que é outra DST que também pode causar coceira vaginal.

Candidíase vaginal

Estima-se que cerca de 3 a cada 4 mulher terão ao menos um episódio de candidíase vaginal durante a vida. E um dos sintomas mais comuns de quem sofre com este problema são as coceiras, que também podem ser acompanhada por vermelhidão, corrimento e ardência no órgão sexual.

Doenças de pele

Há uma série de doenças de pele que podem causar coceira, como a psoríase e a urticária. Elas podem começar em outros lugares e irem tomando proporções maiores, como em casos em que afetam a região vaginal, causando coceira e irritação.

Chato (pediculose pubiana)

A pediculose pubiana é uma doença contagiosa, causada por um inseto conhecido popularmente como piolho-do-púbis. Essa doença causa coceira vaginal intensa, principalmente no período noturno, podendo também causar feridas.

Coceira na vagina pode ser câncer?

A coceira vaginal pode vir acompanhada de outros sintomas, como vermelhidão, inchaço, feridas, dor, sensibilidade, entre outros. Sendo assim, acaba surgindo um grande medo: o câncer.

No entanto, o câncer de vulva ou vagina, assim como tumores vaginais, não costumam ter como sintoma a coceira. Mas, se você tem casos na família, o indicado é fazer exames para garantir que não há com o que se preocupar.

Como tratar a coceira vaginal na menopausa

A coceira na região vaginal pode ser causada por diferentes fatores e cada um implica um tratamento diferente e específico. Sendo assim, o que você deve fazer é buscar identificar o que está causando este desconforto para, no caso de alergias a algum produto, fazer a substituição do mesmo ou, em casos mais graves ou preocupantes, procurar um profissional.

Também é importante destacar que você não deve começar nenhum tratamento ou medicação sem uma prescrição médica, para não ocorrer de agravar ou problema ou acabar gerando outros.

Vale lembrar, ainda, que a maioria das causas da coceira na vagina costumam ser bem simples, sem a necessidade de iniciar um tratamento muito específico. No entanto, uma consulta médica é sempre a melhor opção!

No caso da menopausa, o ideal é começar um tratamento de reposição hormonal natural, apostando em uma alimentação balanceada e saudável. Também aposte em uma vida mais ativa e beba bastante água.

E não esqueça: converse com o seu ginecologista sobre qualquer mudança que você notar, para que qualquer problema ou desconforto possa ser resolvido o quanto antes!

- Adquira Já -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here